terça-feira, 18 de outubro de 2016

PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES - MA, PARTE II



Daí mais duas horas de estrada, e as nuvens fofas iam se dispersando, se distanciando umas das outras, e casas de pau-a-pique por aqui e ali na estrada, e pés de tudo, inclusive o Caju do Piauí...
Começaram a aparecer casas, comércio, e pronto, estávamos em Barreirinhas, a capital dos Lençóis Maranhenses!





A van, por combinado com a Eco, ficou de me deixar no hotel com o povo , para eu aguardar o horário marcado com o pessoal que nos levaria para os Lençóis... CARROS NORMAIS, POR MELHORES QUE SEJAM, NÃO ENTRAM ALI!
Bom, o pessoal foi para seus quartos se prepararem, e eu fui procurar um restaurante para almoçar...

(Este lugar era uma lagoa, das que secaram com a falta de chuva - CINCO MESES SEM CHOVER, o chão está úmido, fofo, mas sem chuvas, sem lagoas! Mesmo assim, uma linda fotografia...)




Calor??? Impressão sua! Paguei R$ 13,00 num self-service próximo ao hotel Buriti, o que fiquei na recepção aguardando, o rapaz ainda me deixou visualizar o hotel e usar o banheiro, além de me passar informações do clima do lugar! QUE HOTEL DO CARALHO, nas fotos que postei não dá pra ver direito, mas procurem Hotel Buriti em Barreirinhas - MA, vocês vão amar!
Tinha uma lojinha de artesanato em frente à recepção, e comprei lembrancinhas e dois pares de brincos pra moá usar nas próximas estradas, rsrs...




O cara veio me buscar, era nesse hotel somente eu, e o resto que preencheria o carro estavam no Hotel Pousada do Rio, outro lindo lugar!
Parecia um povo sério a princípio, mas ri o caminho inteiro! Tuuudo Paulistano as disgrama!
Chegamos na balsa do Rio Preguiças, e finalmente caí na realidade que estava a caminho de realizar o meu sonho... Nesse rio rola passeio, quando o pessoal fecha pacotes com mais de três dias nos Lençóis, tem cachoeiras, e outras coisas legais...




Após atravessar a balsa, coisa de segundos literalmente, de tão perto que ficam as margens, estavam as variadas lojinhas de artesanatos, típicos barraquinhos, e me encantei por tudo, pena não ter dinheiro e condições de trazer tudo!






Daí começa a nossa trilha de terra versus Toyota, rindo horrores, pois o trajeto foi uma hora quicando na areia, pulando, batendo em árvores, falando de viagens, falando besteiras, e parecíamos rodar no mesmo lugar, eram vários caminhos, o cara parecia perdido, mas ele sabia...





TO BE CONTINUED...

Nenhum comentário:

Postar um comentário