terça-feira, 9 de agosto de 2016

" MÃE, MI TÁ LEITE CONCHELATU "... - EDUARDO S/A


ÀS VEZES É DIFÍCIL LEVAR A VIDA " NORMAL " sabendo que ele não está mais aqui... E às vezes não é nem isso, mas lembrar da morbidez da despedida, da partida, de como foi, e fingir que tudo isso é absolutamente normal - porque é mesmo, não precisa fingir, mas fingir que superou, trabalhar segurando o nó na garganta, colocar as lágrimas de volta para os olhos, e vâmo que vâmo...
É como se o mundo tivesse ficado um pouco mais vazio, um eco...
O meu irmão não era imprescindível no meu cotidiano, porque ele nem era presente, principalmente depois que ficamos adultos... Nos víamos de vez em quando por ano, às vezes só no meio do ano, ou final do ano... Mas, amar alguém é tão ÚNICO e essencial na existência, que o fato de não poder amá-lo, quero dizer, não poder agir em prol dele AQUI, não poder acompanhá-lo nem chora por ele, tudo isso é parte inexorável da vida, pois um ser só nasce e morre milhares de vezes,,, Pra ir é com dor, pra nascer de novo é com dor, e a grande merda é Amar! Não quero dizer que queria fiscalizar o que ele está fazendo do lado de lá como eu enchia o saco dele aqui, EU SEI que ele está em mãos que eu confio... Mas, simplesmente dizer: " Meu irmão, eu estou aqui, como sempre estive... E se você precisar... Só do meu abraço, do meu sorriso branco, ou das putarias que eu te falava, EU AINDA ESTOU AQUI, EU AINDA SOU SUA IRMÃ! "...
Quero dizer, não me faz falta pelo que fazia ou deixava de fazer na minha vida, mas pelo que eu podia fazer por ele... Me faz falta amar como eu amei, da forma mais incondicional, mais desprendida, mais desinteressada... Como AMAR - O ATO, é de total importância para nosso bem estar, para encarar o " viver " por aqui...
É estranha essa luta entre o real e a ilusão, entre o sonho e a verdade!
Ver ele num caixão era o que jamais eu desejei na vida, e funeral, enterrar, que para o coveiro é só mais um corpo, a terra em cima, enfim, e tudo isso com o grande contraste de que a pessoa está cercada de espíritos de Luz, de grandes seres humanos que foram, de gente que batalha pelo Bem na Terra, e está caminhando para ser mais uma mão pra somar, e pra ser tudo isso precisaria morrer, e morrer é renascer à verdadeira pátria, mas morrer dói pra quem tá aqui, e é maravilhoso para quem esperava do lado de lá! Loco, negócio insano!
Ainda é foda olhar pra caras parecido com ele... É uma ferida aberta, fuçada com ponta afiada de qualquer coisa... É um viver normalmente a continuação da vida, mas sem um dos braços, ou sem a chuva...
É difícil acreditar que aquele menino sonhando em ser um bruxinho, louco por Harry Potter & The Lord Of The Rings foi pra sua Valfenda!
Aquele menino que sonhava com tantas coisas...

O meu mamãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário