sábado, 11 de junho de 2016

" SORRIR SEMPRE? ACERTAR SEMPRE? " - QUIETUDE


" Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido. "
Mateus 19:11

POR QUE TENS DE SORRIR SEMPRE? Já notaste que muitas receitas de bom humor e autoestima que ensinam a sorrir o tempo todo e dizer que tudo está bem em qualquer situação são tão frágeis que nem mesmo seus autores conseguem colocá-las em prática integralmente? Sorrir sempre, mesmo em situações complicadas, pode significar distúrbio mental ou emocional. Ser sempre certinho, santinho, bem resolvido e estar radiante de alegria a toda e qualquer hora talvez denote comportamento nada verdadeiro, espontâneo, indicando mais uma atitude mascarada a fim de agradar os adeptos do " Tudo está ótimo! ".
Nada está bem o tempo todo e há muita coisa no mundo que reclama ser refeita, reparada, reciclada e, outras vezes, até destruída, de modo a não deixar rastros e ninguém ousar fazer cópias. Concordar com tudo, acertar sempre, sorrir o tempo inteiro seria, muito possivelmente, o retrato da ilusão que domina a mente doentia.


Ninguém é certinho o tempo todo. Afinal, todos são humanos, e humanos choram, revoltam-se, erram, caem, gritam; por fim, nem sempre são bons ou bem resolvidos. Então, por que tentar acobertar a situação em vez de reconhecer que não está bom coisa nenhuma? Por que disfarçar em vez de dizer que não compactuas com o erro, a desonestidade, a falta de ética, de educação e de polidez das pessoas à sua volta? Assumir que as coisas não vão tão bem assim equivale a abrir campo para melhorar, encontrar uma solução ou refazer a experiência. Pelo contrário, dizer que tudo está tranquilo, que não há nada de errado ou que a falta de educação é apenas inexperiência e infantilidade é o mesmo que fechar as portas para qualquer possibilidade de reelaborar, de modificar e edificar sobre novas bases.

O mundo só teve ajuda para melhorar porque existiram pessoas inconformadas, porque houve gente que identificou e revelou enganos e abusos, antevendo a possibilidade do aprimoramento. Somente os inconformados mudam o mundo. Aqueles que se conformam com tudo da maneira como está, ainda que em nome de uma pretendida espiritualidade, não passam de conformistas, quando não covardes. Espiritualidade nunca significou passividade diante do erro ou mansuetude perante os abusos e a ignorância.
Ficar sorrindo para todos certamente não é o melhor caminho para o progresso. Ser político e esboçar um sorriso autômato em forma de máscara, apenas para agradar a todos, é perder a identidade e ser conivente com o erro, o desequilíbrio e o que mais mereça ser reciclado.


E quanto àqueles que pretendem acertar sempre? Podem encontrar a decepção em cada passo ou, conforme a expectativa do acerto, desenvolver tristeza, melancolia e depressão, pois jamais ninguém acertou o tempo todo. Quando o ser se conscientiza de que sua caminhada é apenas um estágio de aprendizado, com o tempo passa a contemplar a possibilidade do equívoco em seus projetos, preparando-se para que nem sempre se desenrolem como espera ou planejou. Consciente desse fato, antevê contratempos e percalços em sua jornada, não se entregando ao pessimismo nem ao imediatismo. Trabalha como se tivesse toda a eternidade pela frente; considera os desvios da trajetória, previne-se contra os erros de percurso, inerentes ao aprendizado, e assim instrumentaliza-se para o melhor.
A vida ensina, por meio da natureza, que o universo inteiro constitui um experimento, um laboratório de almas, seres, mundos e sóis. Tudo obedece a uma lei; porém, mediante o livre-arbítrio dos seres conscientes da criação, podem ocorrer situações não planejadas, contratempos que interfiram no funcionamento dos mundos, na mecânica da criação, podem ocorrer situações não planejadas, contratempos que interfiram no funcionamento dos mundos, na mecânica da criação. Por causa das atitudes e ações das criaturas em qualquer orbe, planetas inteiros podem ser dizimados, destruídos; outros, perturbados pela atração gravitacional exercida por astros e estrelas, sem mencionar outras forças, desencadeadas pela ação nem sempre responsável de elementos discordantes da criação. Apesar disso, a máquina evolutiva não entra em colapso diante dos distúrbios aparentes; não ficam paralisadas as forças que engendram o progresso do cosmo. Tudo continua envolvendo, crescendo e reajustando-se de acordo com as possibilidades, dando forma a outros caminhos, elaborando novas rotas, desbravando roteiros alternativos, a fim de que a vida prossiga e o progresso retome o fluxo natural.
Na vida humana, de modo análogo, ocorrem desvios dos planos, porém, há o reajuste de rota. Imaginar que nunca haja erro ou que não ocorram incidentes e acidentes no percurso é desconhecer a realidade do mundo e do universo. É, também, desconhecer o poder da fé, que reajusta tudo, que transmuta as montanhas de dificuldades, no intuito de conduzir as partes que erram ao caminho da reabilitação e, por fim, de progresso. Nem tudo está pronto no universo. Aliás, um sábio do passado já afirmava que o universo nasceu menino. Como o homem do planeta Terra, ainda criança em sua visão espiritual, ainda juvenil no que concerne aos valores e projetos de vida, ainda bebê no tocante a investir no lado bom das coisas e da vida.
Sendo assim, é perfeitamente compatível com a realidade humana chegar à conclusão de que as coisas nem sempre estão bem, muito embora a lei da vida conduza tudo e todos para melhorar cada vez mais. Nem sempre o homem está preparado para sorrir, independentemente do panorama ao seu redor. Isso não significa que esteja desesperado ou deixou de acreditar na vida e no futuro. Ao contrário! Caso esteja munido de fé, reconhece que algo não vai bem e arma-se de ferramentas mais eficazes para promover - primeiramente em si, depois no entorno - as mudanças que constatou necessárias e quer ver no mundo.
O passo inicial para modificar alguma coisa é saber e reconhecer que algo não está certo. Se tudo está correto e conforme o plano de Deus, então o que mudar, por que aprimorar? Tal reconhecimento abre as portas para a renovação do homem, da vida, do mundo. O fato de este ou aquele elemento não estar a contento, assumidamente, não tão bem como desejamos nem satisfazendo às expectativas de modo explícito, por si só já o torna alvo de melhorias, investimento e progresso.
O mestre galileu brigou e esbravejou, repreendeu a muitos e usou de palavras duras quando eram necessárias, sobretudo com os fariseus e outros representantes do povo e da religião. Agiu assim exatamente porque sabia que vários deles, assustados diante daquela atitude, poderiam melhorar, transformar-se em estrelas e, no futuro, tornar-se representantes de um mundo novo e de uma realidade muito mais ampla do que o círculo acanhado a que se atinham à época. Na verdade, precisamos demonstrar ao mundo que não comungamos com os erros e com atitudes que contaminam, destroem, vilipendiam, desrespeitam a vida e impedem o progresso. Não precisamos sorrir perante o mal ou tudo o mais à nossa volta, tampouco para os representantes da maldade, nem sempre ignorantes das leis da vida. Devemos é promover a transformação do mundo, começando por cada um de nós, e investir numa nova mentalidade, na reeducação e no resgate de valores mais simples, porém determinantes para a construção de uma humanidade mais feliz.

Do livro " Quietude ", Robson Pinheiro - Pelo espírito Alex Zarthú


Nenhum comentário:

Postar um comentário