quarta-feira, 22 de junho de 2016

À VOCÊ, MEU PAI...


HOJE É ANIVERSÁRIO DE MEU SAUDOSO PAI... Não sei se sinto saudades do Juca, ou de ter um pai, mas nunca me esqueço dele...
Depois que descobri o grande ser humano que foi, através de sua irmã, eu aprendi a vê-lo com outros olhos... Meu pai foi apenas vítima de ardilosa maldade, no qual a intenção era que fosse o algoz, em tudo, para todos... Não para minha tia, não para mim!
Lembro como se vivesse agora, eu de joelhos no túmulo dele, aos 18 anos de idade, fazia nove anos que ele tinha partidos daqui, e eu apenas chorei sua morte, pela primeira vez, e só conseguia pedir perdão, por tê-lo julgado baseada em informações chegadas, porém não avaliadas...
Jesus, nosso Irmão, nos concede o reencontro com os seres amados, e espero um dia poder te abraçar como meu pai, e dizer que você fez falta...
Não sei se me acompanhou os passos, se fui tão boa quanto você ou quanto esperava, mas tenho em honra a memória de alguém que me inspira a continuar no Bem...
Meu sonho na infância nunca foi casar e ter filhos mas viver com você e minha mãe, na mesma casa pra sempre... Quando se foi, a vida já me dizia que nada do que eu queria sucederia!
Eu sei que sou amada por você... Eu sei que conhece meu coração e minha alma, talvez como ninguém vivo conhece... E eu sei que se pudesse...
A vida nos separou muito cedo, talvez porque desde cedo ela dizia pra eu me virar sozinha, que eu não teria o colo do " herói " pra me salvar da maldade do mundo...
Não sei se salvaria, mas o olhar afetuoso, o abraço fraterno, as palavras do coração acalentariam meus dessabores, e eu caminharia com maior motivação!
Quantas vezes eu precisei ser o homem da casa quando na verdade eu precisava de colo...
Quantas e quantas e quantas vezes senti sua falta e ainda sinto...
É bom doar, é bom amar, é bom contribuir para a harmonia por aqui, em meio à sociedade, às pessoas do convívio, aos familiares necessitados, mas não posso ignorar que também preciso receber, e que sei exatamente de onde viria...
Quantas dificuldades e quantas sombras tenho que enfrentar no meu caminho, por ser mal interpretada? Não há Bem que eu faça que apague meu passado, para aqueles que nele estiveram comigo... Não sei quanto tempo ainda aqui estarei a liquidar minhas dívidas, mas não vejo flores no meu caminho...
Não quero pronunciar pedidos apesar de encontrar tantos em meu peito...
E você, precisava saber através da ausência, o quanto era importante pra alguém...
Você não era e não é sozinho!
Se lhe faltou afeto, me faltou oportunidade... Sou certa de que hoje, estando juntos, eu aí ou você aqui, nos entenderíamos como velhos e bons amigos...
Como bons cancerianos, mergulharíamos em assuntos espiritualizados, cheios de baixo calão...
No auge de seus 57 anos, estaria ainda novo pra me acompanhar naquela boooa conversa, que só pai entende, sobre os corações de sua princesa!
Eu sinto muito que a vida seja uma eterna filha da puta a separar aqueles que são espíritos afins!
A vida é tão cretina, que junta num mesmo teto pessoas que se odeiam, e distancia em léguas e galáxias, as que se amam...
Parabéns meu pai, e que a " grande desditosa " nos conceda a graça de nos reencontrarmos, para boa e nutrida prosa...
Mas que por hora eu viva aqui, a honrar tua moral, e teu sangue, que corre com preguiça canceriana em minhas veias!!!



Com Amor, para sempre:



Michele ALMEIDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário