quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

" ESMERALDA " - ZÍBIA GASPARETTO

















FAZ TEMPO QUE LI ESSE LIVRO PELA ÚLTIMA VEZ, e essa está sendo a terceira...
Eu não me lembrava de como ele é intenso, como nos prende, ainda mais depois de ler taaaaaantos livros, a gente vai ficando exigente, insuportável!
Enquanto meu irmão estava na UTI, eu peguei emprestado da minha mãe o livro “ O Amanhã À Deus Pertence “, também da Zíbia, mas incomparável, fraquinho, diria até bobinho comparados aos monstros dela que eu já li e que sou apaixonada.
Oficialmente, depois do Edu, “ Esmeralda “ é o primeiro livro que estou lendo, eu emprestei ele pra uma amiga que trabalhou comigo, saiu da empresa, e deixou o  livro aqui... Enquanto eu espero a FNAC resolver me mandar o “ Depois De Você “ da Jojo Moyes, pois comprei no começo do mês, eu resolvi ler “ Esmeralda “ pela terceira vez...
A história é muito parecida com o que vivi, o mundo cigano, a liberdade em que todos eles vivem, a paixão pela música, pelas danças, pela Natureza, eu me identifico inteira, parece que estou lendo a minha história!
Eu sou muito parecida com Esmeralda, até meu gato tenta me controlar, e coitado, não consegue, porque não sou de ninguém! Só o Amor me move para onde quero ir, para o caminho que devo seguir... As flores me fascinam, e dançar é alegrar pra minha alma, rsrs...
Esmeralda era muito triste, apesar de aparentar o contrário para quem a via... Talvez por ser orgulhosa, geniosa, não dava o braço a torcer para a oposição... Eu leio sobre ela, e sinto imeeeensa tristeza e aperto no peito...
Tem um trecho do livro onde a Esmeralda fica cuidando de seu amor, e nem dorme tomando conta dele, com medo da morte passar por ali e levá-lo embora, como se ela pudesse impedir, rsrs. Lembro exatamente que eu queria ficar o tempo todo no hospital, VIGIANDO meu irmão para que a morte não o pegasse, e minha presença impediria, e impediu mesmo, até o momento que o vi, pela última vez, ele estava vivo, e falou comigo... É horrível esse medo de virar as costas, e a morte traiçoeira e invejosa lhe roubar quem você ama!
A história de Esmeralda e seu amor Carlos tem sua beleza, mas é trágica, triste e solitária. O amor entre o padre e a tia do Carlos é mais empolgante!!! Um amor proibido por N motivos, mas, os corações livres para extravasar esse sentimento tão puro, tão profundo, tão grandioso...
Já me chamaram de cigana, dizem que eu pareço ser uma... O fato de me adaptar facilmente à novas casas, dormir em qualquer lugar sem me incomodar, a tara pelo contato com a Natureza, em especial a água, elemento no qual pertence meu signo. A música, e como é combustível  necessário, para continuar... Dançar e me sentir a dona do mundo, o poder sobre qualquer coisa... Cantar, falar alto, poder ser eu...
Fico lendo no trem, no metrô, na escada rolante, caminhando entre uma baldeação e outra, na hora do almoço, FASCINAAAAADA pelos acontecimentos, pelos amores, pela Espanha, por tudo! Fico ansiosa pra dar logo o horário de almoço ou de sair pra morrer de ler...
É tudo tão vermelho, tão vibrante, tão quente, tão vivo, tão brilhante, tão colorido, tão real, e me deixo invadir pela boa sensação de estar vivenciando aquilo, e quando me dou conta, estou em SP, em 2016, no meio de gentes e vidas normais... A narrativa me encanta tanto que enquanto leio, vivo no mundo dos sonhos, dos meus sonhos...
Desde criança, eu pensava em crescer e arrumar um homem simples... Que meu amor seria um homem de vida humilde, sem “ arroubos “ que o dinheiro proporciona, e na verdade eu sempre tive medo de arrumar um cara com grana, e sempre corri disso... É tudo muito parecido com meu passado, foi isso o que eu vivi e não tenho uma conotação boa dessa experiência... O casamento por obrigação, a vida cigana... É tudo muito “ passado da Michele “...
Ainda guardo no peito o calor do Amor que sinto pelo meu Carlos, que não sei quem é... Seu rosto, seu toque, e seu olhar estão gravados na minha alma, e ainda aquece meu espírito a lembrança de ter sentido o Amor Verdadeiro na vida, mesmo que tenha passado taaaaantos anos...

Recordar é amar, e vice versa!


Tonight.

Nenhum comentário:

Postar um comentário