sábado, 9 de janeiro de 2016

" EU SOU AS ÁRVORES, VOCÊ É O CÉU... " , BY EDUARDO ALMEIDA

O QUE O MEU IRMÃO SABIA O TEMPO INTEIRO era que eu ia passar o dia 25 de dezembro na casa da nossa mãe, então, ele me esperava para entregar o seu presente de Natal à mim...
O que ele não sabia, era que eu ia trabalhar até o dia 23, e que do serviço eu iria pra casa da mãe direto... Não pelo presente, mas porquê ele fazia questão, e dia 25 eu teria que ir embora direto pro Aeroporto...
A última vez que eu tinha visto ele foi no Halloween, e já me assustei com como ele estava magro... Depois disso, de toda correria de exames para saber o que estava acontecendo, nada do que minha mãe fazia para comer surtia efeito, e a impressão que dava era que passava direto, e passava mesmo! Seu organismo não segurava mais nada no corpo, e ele foi emagrecendo, emagrecendo mais, e eu disse à minha mãe que teria que tomar calmante para vê-lo, pois, por ser extremamente espontânea, não sei qual seria minha reação...
Com essa história de passar toda as minhas férias coletivas de serviço lá na minha mãe, e ele na UTI, eu vi fotos e vídeos dele em dezembro, e fiquei chocada! Jamais conseguiria olhar pra ele numa boa e viajar como se nada estivesse acontecendo, seu rosto era a face da morte! Nunca vi meu irmão tão pequeno e frágil, de dar medo de quebrar! Minha mãe e irmãs dizia que ele andava se segurando nas coisas pra não cair em casa, e sentava em duas almofadas, pois não havia bunda, só osso! Triste de ver, triste de doer mesmo em todo o peito, você ver uma vida, uma saúde arruinada, e de alguém que você ama!
Ele deu entrada no hospital Sapopemba em 20 de dezembro, e fiquei triste porque eu sabia que ele perderia o Natal, e o Natal pra ele é tão importante quanto pra mim e irmãs!
Dia 20 foi no domingo, e trabalhar na segunda feira pra mim foi a mesma coisa que pedir pra alguém arrancar minhas unhas dos dedos, uma verdadeira tortura, e a vontade que eu tinha era de ir para o hospital e não largar mais ele... O teto da Estação Luz pegou fogo, e não resisti quando vi o vídeo ao vivo no G1, e me acabei de chorar, pela minha amada cidade, e pelo meu amor no hospital... Ele me agradeceu por ter ido ver ele no domingo, queimando de febre, recebendo medicação para pneumonia, e não dizia coisa com coisa, estava mais no astral do que na Terra, e dizia que Jesus estava ali, e que tinha muita luz!
Dia 23 fui vê-lo no Sapopembinha, e é um impacto monstruoso ver a pessoa que você ama todo entubado, conectado a tantos fios e aparelhos, e medicações, e dá aquela vontade de pegá-lo e sair correndo com ele no colo, como se ali ele estivesse sofrendo, o que na verdade, ALI ele estava sendo cuidado...
Dia 25 de dezembro, lá estava eu, às 08:00hs da manhã no hospital, porque não podíamos passar a noite com ele, e eu fui a primeira de sete pessoas que foram vê-lo nesta data tão importante pra ele... Ele não podia falar por conta do tubo ligado ao pulmão para ajudar na respiração e expiração de catarro, então vira e mexe ele sentia ânsia de vômito... Tentava falar com os dedos, fiz um letreiro pra ele com o abecedário numa folha de sulfite pra ele ir ligando as letras com os dedos, e devagar ele disse algumas coisas...
Ele disse que chorou enquanto ouvia os fogos e sabia que era Natal, que ouviu o pessoal do hospital falando sobre isso, disse que foram muitos fogos, e pediu um quadro de Jesus, o que não podia! Ele ainda estava no quarto isolado, e não podia haver nada lá que não fosse do hospital... Eu saí do quarto com o coração apertaaaado, por ele ter passado uma noite tão sofrida, longe dos seus... Estava tão bonito naquela cama, sem camiseta, estava robusto pois havia inchado com tanta medicação, e lembrando que ele havia entrado no hospital o esqueleto!
Ele me perguntou sobre o meu presente, e disse que ainda não havia recebido, pois pedi pra Cá embrulhar pra me dar e eu abrir no hospital!
Desde que ele foi internado, ele só melhorava... A cada dia, voltávamos do hospital com as esperanças renovadas!
No dia que levei meu presente para abrir, ele ainda comia por sonda, mas não estava mais entubado, e já havia saído da sala de isolamento, estava junto aos outros internados, e era o mais novo de todos!
O presente estava tão bem embrulhado, com tanto capricho que eu dizia à ele que não queria abrir pra não estragar o embrulho, e ele olhando ansioso...
" Você lembra o que você está me dando? "
" É laranja " !, apenas disse isso e esperou eu desembrulhar...
Desde o sábado/domingo em que ele teve que ser levado ao hospital pelo SAMU, em meio aos delírios de febre e contato com o astral, ele não era o Eduardo como todos nós conhecíamos! Era diferente, era o espírito dele falando, se expressando, era um ser humano, não havia orgulho, não havia reservas, ele era um ser humano inteiro, como se não tivesse castrado nada, como se não tivesse sofrido e criado um muro de defesas contra a sociedade, ele era genuíno, íntegro, alma pura, bondade!
Todo o tempo que ele falou conosco, parecia uma criança, ou uma pessoa com deficiências mentais, talvez de tanta medicação, talvez porque ia partir mesmo, não sei, mas ele ficou lindo na UTI!
Daí eu desembrulhei esse quadro que vocês estão vendo na imagem desta postagem...
" Nossa Edu, que lindo! Onde você comprou? "
" Foi eu que fiz! "
Arregalei os olhos: " Você? Como conseguiu?  ", porque eu e minhas irmãs sempre tivemos o pézinho pra arte, ele não era bom nisso, era no computador, não na mão! E eu não acreditei mesmo que tinha sido ele, até minhas irmãs dizerem que ele fez meu quadro, mesmo sem a menor força física, até terminar!
" Achei a sua cara... "
" Ai Edu, que lindo, amei! Esse mar é eu toda... "
" Eu sou as árvores, você é o céu ", e o resto eu não consegui ouvir... Ele não falava ainda completamente bem, e se a gente perguntava as coisas, ele ficava olhando, não respondia... Talvez não conseguisse expressar rápido o que pensava...
Todos os dias foi uma tortura infinita! Eu o visitava pela manhã, depois alguém ia a tarde, e a gente já ligava pra saber como ele estava, e a noite também... Uma tensão sem igual, um estado de alerta constante! Todos os dias eu chegava na recepção do hospital temendo o momento que aquelas meninas me dissessem que ele não estava mais na UTI... Eu sinto saudade até do cheiro estranho de suor dele, pois o banho era de gato, ele não podia ainda sair da cama, e claro, não vão se ocupar em banhar o paciente com desodorantes e colônias, tem que fazer o que dá mesmo...
Um dia depois do quadro, dia 30 de dezembro, eu cheguei, e ele me deu a notícia de que tinha comido papinha... Eu parecia fogos de artifício em forma de gente! Escovei os dentes dele, dei o almoço que era papinha, mas do tamanho do marmitex, dei gelatina, e a gente ficou duas horas batendo papo... Diminuíram medicação, sedativos, e era o Eduardo que vi crescer e virar homem! Falava palavra, suas expressões eram absolutamente normais = " Nossa, aff, sei, meu... ", coisa que ele não usava desde que pisou no hospital... Até " puta que pariu " ele falou pra enfermeira, porque queria tirar aquela fralda que conseguia ir ao banheiro fazer xixi, ahã! Ele não lembrava de nada desde que foi internado, não lembrava que passou o dia 25 de dezembro com sete pessoas visitando ele... Me perguntou se eu tinha notícias da casa da mãe, e se espantou quando eu disse que estava dormindo na mãe todos os dias, e que nós íamos visitá-lo todos os dias...
" Vocês vem aqui quando eu estou dormindo... "
" Não Eduardo, você está acordado, falando conosco, mas está drogado... "
Aí ficou pensando...
Não era ele durante as drogas, mas era um Eduardo melhor! Não havia ego, só alma!
Saí do hospital feliz pela papinha e decepcionada...
Saí com duas certezas = Ele viveria, e não mudou nada!
Quando as pessoas falam de entes e amigos falecidos, sempre fazem questão de mostrar o lado bom dessas pessoas, e não que isso seja ruim, mas é ilusório!
Meu irmão vivia de fantasias... Era a aparência em primeiro lugar, seja desde a cor do cabelo, até parecer estar sempre bem! Ele entendia tuuuudo do lado espiritual/esotérico, mas se deixava enganar por uma vida que sonhava ter ou ser... Um cara com milhares de amigos, porque importava quantidade, não qualidade, um cara gato que chamava a atenção dos outros caras, e vivia de um " ôba-ôba, puts-puts " fútil! NÃAAAOOOO!!! A vida dele não era foda como ele queria mostrar! Ele era um sozinho pois quem ele chamava de amigos era um bando de filhos da puta se aproveitando dele, de sua ingenuidade insana, que dava vontade de espancar! Não, não era santo, e acho também que nem tinha essa pretensão, mas meu, não dá pra sentir tesão por todos os homens do mundo, sorry! Sabe? Sumiiiiia do mapa, a gente tentava falar com ele, estava sempre muito ocupado com a droga da vidinha fulêra que levava, sempre aparentando uma felicidade que só não enganava à quem realmente o amava... Daí, se fodia financeiramente, emocionalmente, e corria pras asas da mamãe... Posteriormente, começava tudo de novo! Nuuuunca se deu o devido valor, nunca se respeitou como cantava por aí, todo mundo podia sapatear na sua barriga, que acho que ele pedia mais, só pra ter atenção, como se precisasse dessa gente! Foi enganado e feito de palhaço por N pessoas... Foi traído, subestimado, esquecido... E no dia que saí decepcionada do hospital, era com ESSE Eduardo aparência/otário dos outros, esse Eduardo que não sobrava tempo pra pensar nele mesmo... O mundo dele girava em torno do umbigo de todo mundo, menos dele... Fazia as vontades de todo mundo, menos as dele... Aliás, será que fez alguma vez as próprias vontades? Cansei de gritar, cansei de discutir pelos mesmos assuntos e gastar meu latim para defendê-lo, sendo que ele foi a primeira pessoa contra ele! E com tudo o que ele estava passando na cama de uma UTI, em nenhum momento toda aquela situação, todo o sofrimento da minha mãe e de nós irmãs não tocou ele? Porra, o que não me surpreende é que conheço gente com o dobro de nossa idade, que já sofreu a padaria que o Diabo amassou, e não aprendeu naaaaaaada! Já disse, não espera a vida ensinar, ela não é cristã e não usa misericórdia! TODO AQUELE QUE SE LARGA NA MÃO DOS OUTROS E NÃO CUIDA DO QUE LHE FOI CONFIADO, VAI SE COBRADO! Você é seu, e só seu! Aprenda a não cobrar dos outros aquilo que você não se dá!
No dia seguinte, dia 31, ele estava sentado na cama e se tremia inteiro, batendo os dentes, e discutindo com sei lá quem...
O médico me chamou de canto e explicou que da noite para o dia a situação se agravou! O fígado e os rins não estavam mais respondendo, teria que partir para hemodiálise...
Fui pra casa pois havia quatro dias que tinha colocado ração pro gato, e ia passar a virada com ele por conta dos fogos...
Na manhã do dia 1º, eu ia ver meu irmão, mas estava muito cansada, afinal, os poucos dias de férias que peguei, eu não dormi e descansei nada...
A tarde liguei pra minha mãe pra saber notícias, e minha irmã atendeu, dizendo que o hospital estava aguardando o coração parar de bater para comunicar à família... Ainda assim insisti em acreditar que o quadro iria mudar, ate ela dizer que ele estava todo roxo, e gelado, e quase morri de chorar no telefone, e por isso não fui ver ele pela manhã, eu não ia aguentar ver isso!
Ele faleceu oficialmente às 07:15hs da manhã, 02 de janeiro, e o peito parecia aliviado...
ACABOU, eu sentia...
Hoje estou escrevendo sobre ele para meu Blog, sábado passado estava no velório dele...
Dia 02 de janeiro de 2015, eu estava voltando de Campos do Jordão, enquanto ele estava em Paraty - RJ, aproveitando o lugar lindo e eu brigando com ele no telefone para pisar em Trindade e suas maravilhosas praias, mas o jegue não foi...
Isso, pra vocês verem a diferença obscena de 365 dias na vida de uma pessoa!
Eu não sei... Depois de ler " Como Eu Era Antes de Você " - Jojo Moyes, em 2014, eu me prometi um ano de 2015 excelente! Aquele livro me levantou de tal forma, e conseguiu me obrigar a viver intensamente, extraordinariamente, completa, inteira em tudo o que eu fizesse, enfim, e com a partida do meu irmão de forma tão agressiva pelas infeções, e principalmente, com seus 27 anos de descaso, de desdém consigo mesmo, de abuso e desrespeito, isso só me dá mais forças e inspiração para continuar minha jornada da maneira que eu determinar! Ele não tinha domínio sobre si mesmo e parecia uma folha ao vento, esperando que o vento se encarregasse de determinar seu caminho, e isso me revolta de uma tal forma... Como alguém pode se largar desse jeito? Como alguém pode esperar que algo venha do Alto ou sei lá de onde, quando o Alto nos passou esse DEVER à nós mesmos??? Onde já se viu fazer tudo pelos outros e não sobrar espaço para si mesmo? Onde termina a bondade e começa a palhaçada? Tudo tem limites!!! Se sou eu quem é a responsável pela minha vida, é minha obrigação que eu viva da melhor maneira possível! Que eu coma melhor, que valorize minha saúde andando, correndo, pulando, brincando, curtindo de forma que isso não me prejudique! Que eu faça minhas vontades, que eu me permita, que eu viva com a certeza de que só tenho o hoje! Ninguém é seguro sobre o amanhã! Ninguém, pode afirmar com certeza, que amanhã vai ver o sol nascer novamente, então, o que estamos esperando? Porque não gostar de tudo, porquê não vivenciar tudo, não experimentar tudo, mesmo que nisso esteja incluso episódios de dor? O que aprendi com meu irmão que posso copiar, e o que aprendi que jamais quero que aconteça comigo? Até onde vai o seu amor por você?
REPETINDO: ATÉ ONDE VAI O SEU AMOR POR VOCÊ??? Você só é capaz de se amar se estiver bonito para uma festa? Você só é capaz de se amar se puder comprar uma pizza, o melhor carro, o melhor celular? Se você cair numa cama de hospital, será que consegue se levantar? Se colocar pra cima, como faria com um amigo? Eu digo isso porque eu passei por isso, eu fui fazer uma cirurgia em 2011, e fui com toda a intenção de não voltar mais, nunca mais! Bom , daí eu acordei da anestesia, bem viva para minha decepção, e de repente, me toquei de que ninguém perguntou de mim, que ninguém foi me ver, de que ninguém fazia a menor questão de minha existência, e isso me subiu um gás, uma vontade de sair daquela cama e continuar, PORQUE EU TINHA EU!!! Eu queria provar pra mim que poderia viver sem precisar implorar amor à ninguém! Que minha vida podia ser diferente... Enfim, demorou um pouco, com muita dor, mas foi!
As pessoas dizem " ele morreu tão jovem ", como falavam do meu pai, mas, tem tanta gente insuportável, como ser humano mesmo, até gente má, fazendo hora extra... O que será que está certo? Será que temos noção do certo?
Às vezes cansa pensar nessas Forças que comandam a porra toda, mas de uma coisa eu sei: Não temos força sobre nada, não temos controle de nada, e nossa única obrigação é cuidar de nós mesmos, pois seremos cobrados! O mal que fazemos às arvores, aos animais, ao mar e rios, aos outros, tem o mesmo peso que o mal que fazemos à nós mesmos!
TUDO É NATUREZA, E TUDO FAZ PARTE DE UMA COISA SÓ!
Que a vida ou morte do meu irmão sirva de exemplo para que na prática você se goste, se curta, se sinta, se tenha, se respeite, se satisfaça, se dedique, se ame, acima de qualquer um, acima de qualquer coisa!
OBRIGADA EDUARDO, POR SUA LIÇÃO: EU JAMAIS VOU ME ABANDONAR, ISSO EU PROMETO POR MIM, E POR VOCÊ! POIS NÃO HÁ NADA NEM NINGUÉM NO MUNDO QUE MEREÇA QUE NÓS NOS ABANDONEMOS!



FICA NA LUZ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário