sábado, 7 de fevereiro de 2015

" AYRTON, AYRTON, AYRTON SEEEEEENNA, DO BRASIL "

Rs, eu adorava o chão vermelho, depois que minha mãe passava a Cardeal... Ficava um brilho e bonito...
Nosso cazebre tinha dois cômodos, sendo um quarto pra todo mundo e uma cozinha, com os móveis amarelos... Aquela mesa que se tornava maior em almoços de Natal...
E como hoje uso no meu banheiro, naquela época o banheiro era de bloco, que meu pai mesmo construiu, e como não tinha porta, minha mae improvisou cortinas com lençóis e lonas...
Lembro dos potinhos de temperos, todos laranjas, e dos desenhos de festas juninas que a Mileide fazia na parede, para decoração...
O vaso sanitário era marrom, e me incomodava o fato de não poder ver se a privada estava realmente limpa, rsrs...
Tinha o " lá trás ", um quintal no fundo que foi o espaço usado pra ser hoje o quarto da minha mãe, e acabar com o prazer de nos divertir nele...
A porta, muito peculiar, tinha a parte de cima e a de baixo, com uma tranca em cada uma...
Quando o dia amanhecia lindo, de um sol no mês de abril, os raios sutis do começo de um novo dia penetravam pelas frestas das paredes compostas de madeiras... Como manter um negócio daquele em pé com tanta tempestade de verdade que caía naquela época? E O INVEEEEERNO??? Uai, sobrevivi!
A fiação tocava o terror na aparência né, vermelho e azul por todo o telhado, com lâmpadas penduradas em seus respectivos cômodos.
Nossa, gente, como eu era feliz!
Minha mãe limpava a casa, e tudo ficava bonito, e fazia bolos da marca Sol, aqueles de caixa, e se tomava café com leite...
Tínhamos o necessário! Não tivemos instrução sobre nada, e crescemos num ambiente inóspito para qualquer educação familiar! Tínhamos o sol, todas as manhãs, e " Tieta do agreste " à noite...
Meu pai trazia do centro de São Paulo uns sacões de cereais matinais... Não sei da onde ele tirava isso...
Não tínhamos danones nem bolachas recheadas... Sorvete e chocolate então, o que era isso?
Roupas novas só no final do ano, que a Cleide trazia em seu fuquinha pra minha mãe dar uma olhada... É engraçado que, lembrar da minha mãe naquela época, me parece que hoje ela é uns vinte anos mais nova! Minha mãe foi a típica profissional do lar, dedicada aos filhos e marido, no limpar, lavar, passar e cozinhar...
Brinquedos? Tínhamos sim, ganhados, ou velhos que alguém doava...
Ouvi boa música desde a tenra idade, assim como assisti a filmes pornôs...
Tínhamos o Snoop, que adorava meu pai e vice versa!
Nos domingos, além de ver Ayrton Senna mostrar a bandeira do Brasil ao chegar em primeiro lugar, tínhamos pão com mortadela da padaria Adorei, que hoje ficou lojas Marisa - De Mulher Pra Mulher, rsrs...
Éramos uma família! O mundo era perfeito pra mim, e nada mais lá fora importava! No dias de calor brincávamos na rua, nos dias de frio e chuva, fazíamos cazinhas e mansões com cobertores presos nas beliches, dividindo cômodos e tudo! As cores dos cobertores ajudavam na iluminação diferenciada de cada cômodo, you know?
Eu adorava os começos de ano, as compras de material escolar! Tarada por papel e lápis de cor a vida toda, sonhava em um dia trabalhar de avental numa humilde papelaria de bairro... (Rs, hoje trabalho numa gráfica e editora!)
A Faber Castell, a Lego, a Barbie, os brinquedos da Estrela eram sonhos... Via nas propagandas da TV, e apenas me dava ao luxo de sonhar, sabendo que jamais teria! Eu dizia, claro, como toda criança, que quando eu crescesse compraria todos os meus brinquedos, mas a Barbie custa o que gasto por mês com meu gato, e uma caixa de Lego é uma diária num hotel da hora num lugar bom... Rs, sou obrigada a perdoar meus pais!!!
Por isso que uma infância bem vivida tem que ser primordial... Por que crescemos e ficamos sabendo de tudo! DE TUDO DE RUIM!!! Tudo aquilo que destrói nosso sonho de perfeição:
# Nossos pais nos fizeram por acidente...
# Nossos pais não se davam lá tão bem...
# Nossos pais não falaram de drogas, sexo, mentiras e coisas de gente adulta...
# Ninguém disse que a gente iria chorar por amor, ou a falta dele...
# Na escola só tem amigos quem se vestir melhor e tiver o melhor lanche...
# Todo mundo da família já pegou todo mundo...
# Vamos encontrar portas fechadas pelos caminhos da vida...
# Há diversos podres em nossa família, pra escolher pelo grau do fedôr...
# Há bandidos, e eles sempre estavam ali, ao nosso lado, mas não sabíamos...
# Há estupradores de crianças, e gente que maltrata animais por simples prazer...
# Há gente no mundo que pra se dar bem passa por cima de você sem titubear...
# Aquele cara vai te enganar...
# Há mentiras que não poderão ser reveladas, e verdades também...
# Há lágrimas que você vai ter que segurar, e sorrisos também...
# O sabor da bolacha recheada super difícil vai ficar sem graça agora, trivial...
# Os filmes não são realidade, e vice versa...
# Michael Jackson não se transformava em panteras...
# Não existem amigos, apenas oportunidades...
@ O PIOLHO ACABA UM DIA, UFA, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!
# É complicado ser mulher vivendo numa sociedade machista...
# Menstruação, pagações de mico, tombos pela rua, febre alta sem ninguém pra correr com você pro hospital...
# Trabalhar com febre, trabalhar com cólica de Endometriose, trabalhar de saco cheio do serviço, trabalhar mesmo sem querer falar com ninguém, trabalhar mesmo depois de levar o NÃO da vida, daquele cara que a gente achou que amou... Pra piorar, trabalhar com essas desgraças de vez em quando, só pra descontrair!
# Crescer e descobrir que sua família era perfeita aos domingos, no café da manhã, ouvindo a narração de Galvão Bueno na Globo, e hoje, aconteça o que acontecer, você não pode contar com ninguém!
Seu pai se foi, sua família toda se desmembrou, seus irmãos que eram legais cresceram e hoje cada um pensa de um jeito, sua mãe não se importa se você está de coração partido, porque você estar viva é o suficiente... E quem disse que alguém triste está vivo?
Veeeeeeeeendo sob essa óptica, dá pra fazer filhos e constituir família, BAGUNÇADO ASSIM??? E a grande verdade é que só existe essa óptica mesmo, como eu canso de dizer, o bebê lindo da mamãe vai crescer e irritá-la, a ponto de ela não sentir falta em sua ausência... O casamento por milhares de motivos que não o Amor Verdadeiro, vai se esvair, vai se dissolver, pois não é sólido, não tem base, e um dia a casa cai...
A gente cresce e descobre que não precisava ter crescido... Nossa própria família era uma mentira, e a que eu constituir hoje provavelmente será, e a dos meus filhos...
Essa foi a minha realidade, essa é a minha realidade, e não há nada do passado que seja um referencial de sucesso no meu futuro... Tudo caiu por água abaixo, e você não tem onde se segurar...
Eu certamente precisei de alguém pra trocar minhas fraldas, e me dar alimento... Certamente precisei ser levada por alguém até a escola, e precisei da alfabetização... Por um tempo você precisa das pessoas, e quando você cresce descobre que nunca deixou de precisar... Que todos os maiores problemas de toda a vida ainda estão por vir, que as piores dores não foram as da cólica do leite materno, nem quando levou o tapa merecido por aprontar...
E aí, você olha pra um lado e pra outro... As pessoas coooorrem de contatos físicos! Chorar é proibido, " você está sempre sorrindo Michele "... É uma cobrança de uma estátua cheia de dentes! " Você tem medo de alguma coisa? Mas você é doida, é capaz de tudo "...
Nem doente e febril tem alguém pra te confortar... Nem antes de entrar numa sala de cirurgia... Nem quando aquele cara disse " nunca "...  Nem quando seu patrão te come viva por erros não tão absurdos assim... Nem quando você precisa se mudar de uma casa e não tem condições... Nunca tem!
Eu me sentia horrível e excluída no primário, porque ficava sozinha no recreio, comendo meu pão com maionese, no lenço azul com branco que minha mãe embrulhava, e não via a hora de sair da escola, porque eu não tinha amigos, rsrs... E o que tenho hoje?
Daí as pessoas ficam perplexas que eu viajo sozinha e assisto a shows com 60.000 pessoas sozinha, mas quando estou chorando também é sozinha, e quando estou com dor também é sozinha, e isso não é mais comovente?
" Você não sente falta de sexo, Michele ? "... Não... Sinto falta da mesa amarela, com bolo de laranja e café com leite... Banana no almoço pra acompanhar o bife, sob a supervisão da dona Rosa... Sexo é fácil minha gente, só estalar os dedos, tenho pra escolher, mas Amor, não é daqui!
A única pessoa que com certeza me abraçaria com amor não está mais aqui, porque, como eu sempre digo, a vida tem inveja de mim, e não me dá saídas...
As pessoas hoje se perdem em seus celulares... Há um mundo novo pra elas lá dentro, porque elas, diferente de mim, tem família que se importa, tem amigos pra toda hora, tem um homem que ama, e mais três na fila, torcendo pro cara morrer na próxima esquina... Essas pessoas tem casa própria, e condições financeira pra fazer muita coisa e viver bem... Por isso, a merda do celular às tira de uma rotina que elas consideram entediante... Elas não vê o sol nascer, nem prestam atenção na queda da chuva... Elas comem chocolate sem sentir o sabor, pois estão respondendo a alguém no celular... Elas devem trepar pensando, arquitetando postagens no Facebook...
... E eu ainda estou lá trás, brincando com cascas de banana, na companhia de meus irmãos, primos e vizinhos, roubando o chuchu do pé da vizinha, vendo a casa da Fátima ser construída depois que a tempestade levou seu barraco embora...
É triste que, muito antes de envelhecer, eu já tenha percebido que o imprescindível é de graça!

Now.

Nenhum comentário:

Postar um comentário