terça-feira, 27 de janeiro de 2015

" BEM MAIOR, DO QUE OS MARES MAIS PROFUNDOS... " - BEM MAIOR, ROUPA NOVA

É engraçado, como eu achei que seria pra sempre a menininha sonhadora de romances...
Na adolescência, além de olhar as estrelas, eu ouvia muito aquele programa da rádio Cidade, que virou Sucesso, e hoje não sei o que é: O Love Songs, lembram? Tinha o Vale à Pena ao meio dia, e tinha o Amor Sem Fim, e eu ouvia todos eles... As traduções...
Eu era apaixonada por um rockeiro, e escrevia muitas cartas pra ele, cartas que ele jamais leria, mas, eu precisava me expressar!
Eu achava que eu era doente, que nunca me curaria de tanto amor dentro de um só peito, e hoje eu olho pra mim, como uma resposta errada na prova, apagada por uma borracha, mas ainda visível... Algo cinza, indo embora...
A gente cresce, a vida exige que fiquemos adultos e responsáveis, e com isso vamos perdendo a ternura, o jardim florido do peito...
Na minha idade, já se tem noção de que a família te decepciona, de que os amigos te abandonam, de que os homens são covardes, e se a tendência é isso mesmo, piorar, é melhor morrer agora! Sem morbidêz alguma, eu pergunto qual é a razão de viver, se a evolução é na amargura? Se vamos ficando cinzas e não sorrimos mais, se a vida perde o sabor e o rebolado, que graça tem ficar adulto? Trabalhar, pagar contas, envelhecer, morrer! Mas que vida sensacional, não? Os Espíritas dizem que como o planeta ainda é de provas e expiações, o Amor e a Felicidade não são daqui... Mas, me pergunto angustiada: Se é daqui apreciar as cores das flores, e o som das cachoeiras... Se é daqui sorrir com um animal brincando, e uma criança se mostrando esperta... Se é daqui comer um maravilhoso bolo de laranja fofinho, e dormir numa cama confortável, porque a Felicidade, que é muito maior que tudo isso, superior, também não é daqui? Esqueçamos a Felicidade, mas e o Amor, né?
Há quinhentos anos atrás, os amantes, senão de sexo ardente escondido, viviam de cartas apaixonadas, cheias de entrega e eternidade... Cruzavam-se pelas ruas, pelos vilarejos, e os olhos declaravam o quanto um pertencia ao outro... A ânsia de se ver era tamanha que valia qualquer sacrifício...
É muito difícil eu acreditar que exista isso hoje... E lamentável!
Naquela época, casava-se por obrigação, e amava-se o proibido... Hoje, o casamento continua por obrigação, e o Amor ninguém ouviu falar... Não se trai por amor, qualquer tesãozinho fulêro é motivo pra uma escapadinha... Ou, só pros amigos não chamarem de cuzão!
O hoje é tão medonho e perverso que prefiro continuar lá trás...
Eu sei que eu amei... E minha convicção é tão forte, que não troco o que vivi num tempo perdido do passado, por qualquer coisa hoje, só pra não me sentir sozinha! Na verdade, sou fisicamente sozinha, mas não me sinto assim, ao menos, não sinto necessidade de estar com alguém... Não qualquer um, mas " ele " ! Depois de viver o Amor em toda a sua magnitude, é impossível se contentar com pouco... Depois de ser completamente amada, é difícil se contentar com homens que só querem sexo... Uma masturbação resolve todo esse fogo no rabo! Depois de se ver inteira nos olhos e gestos de alguém, presença é o de menos, uma vez que hoje, presença não significa nada... Cada vez mais próximos e absolutamente distantes! Deveria ser um encontro de almas afins, não de gente interesseira, cheias de segundas e terceiras intenções...
Eu amei, e ainda o amo! É, talvez eu ainda espero por ele... E por conta disso, eu não páro mais pra pensar nessas coisas, porque qualquer um é apenas qualquer um... Porque talvez eu tenha uma certeza de que não o encontrarei, ainda pelos próximos, sei lá, vinte anos... Então, vou vivendo minha vida, me ocupando com o que acontece hoje, e parei de sonhar com uma coisa que não é desse mundo!
Eu não vejo amor nas pessoas... Elas dão as mãos umas às outras, mas não há cumplicidade, não há verdade! Talvez, com medo de não encontrarem aquilo que eu também espero, já partiram pra ignorância, e pegaram o primeiro que apareceu, já pra garantir uma velhice em família, pra se sentir um pouco vivos, mataram suas esperanças...
Fico me torturando na tentativa de entender como conseguem se tocar, trocar carícias, sem desejar! Meu Deus, não dá vontade de vomitar? É comer açaí, querendo pudim!
Pior é que falo " desejar ", e as pessoas entendem como " vontade de pegar "... Quando falo desejar, o negócio é mais intenso, rsrs, de doer mesmo... Atração física já não é com qualquer um... Transar pode até ser com todo mundo, mas, aquela sensação de que, ao se despedirem, ficou um pedaço seu com ele, e vice-versa, definitivamente não é com qualquer um... E no meu ver, o desejo vai além disso: Não se deseja completamente à qualquer um! Um cara que sirva tanto pra te " destruir " sexualmente como... Pra simplesmente ficarem em silêncio, apenas sentindo um ao outro, e sentir que esse instante é único, e que você não viveria com mais ninguém... Não dá pra ser a gente mesmo com qualquer um! E esse qualquer um, muitas vezes é quem escolhemos para chamar de namorado, de esposo... Não há intimidade com quem não é um sonho pra gente, mesmo que haja sexo...
As pessoas trocam os órgãos, trocam as contas pra pagar, trocam beijos no final da ligação, mas não são honestas! Partem delas isso, mentem e tentam convencer elas mesmas de que vivem uma vida perfeita, quando começou tudo errado, tudo forçado, tudo fingindo não ver... Passou por cima de tudo pra manter as aparências, e quando a bomba estoura, diz que não sabe como chegou a tal ponto?
Rsrs, ainda há tempo de viver de verdadinha, de sentir o calor do sol queimar a pele, o vento bagunçar os cabelos, a chuva cantar aos ouvidos, e a voz dele cheia de promessas no peito, te fazendo sorrir sozinha pelas ruas, feito louca! A expectativa de que valeu à pena todos os " nãos " que você ouviu antes, e todos os caras que não deram certo, porque hoje você ouve a voz dele, e tudo faz sentido! E quando estão juntos, o tempo é traiçoeiro, filho da puta!
E nesse mundo, cheio de guerras por tanto orgulho, e briga por poder! Repleto de preconceitos e escassez... De gente passando fome, de miséria de toda sorte, de limitações! Um mundo onde você é julgado por ser você mesmo, por gostar das coisas que gosta, condenado por sentir o que sente... Onde a Verdade é a maior inimiga, e a mentira tem abrigo em qualquer lar! Onde ilusões e interesses se confundem e se fundem!
E nesse mesmo mundo, onde o Sol brilha todas as manhãs, mesmo quando as nuvens invejosas tentam apagar sua luz com um tempo chato, ah, sim, esse mesmo mundo, pode se tornar mágico, se tornar único, se tornar mais humano!
Se as pessoas fossem verdadeiramente unidas pelo amor, esse energia faria da Terra um lugar melhor, um ambiente respirável!
Quem sabe, ainda há esperanças...
(OBS: Acho que o Amor não precisa durar... Ele só precisa ter existido um dia, desde o primeiro momento...)

Now.

Nenhum comentário:

Postar um comentário