segunda-feira, 24 de novembro de 2014

ENTRE AQUELAS QUE NÃO EXISTEM...

Alguém aí sabe me dizer o que é ter o amor correspondido?
Ok, não precisa ser " o Amor da vida ", uma paixão que seja, um amor de verão...
Que sensação é essa?
A gente se sente bem? Sente alívio? Sente-se feliz?
O quão é prazeroso saber, que o ser que você quer, quer você tanto quanto?
O que é o Amor?
Às vezes eu chego à conclusão de que nunca passei por isso... Meio sem graça, viver tantos anos na Terra sem sentir este sabor!
É certo que nunca fui correspondida! Não disse que nunca fui amada, disse apenas que nunca alguém que eu quis, me quis da mesma forma...
É estranho, despertar sentimentos e intenções tão boas em gente que não significa nada pra você, enquanto que aqueles à quem esperamos taaaanto... Vamos morrer esperando!
Sabe? Aos treze anos me apaixonei pelo Paulo... Talvez uma admiração, uma pagação de pau e mico juntos... Ele sabia, e disse " não "! Rsrs, daí foi uma sucessão de " nãos ", sem fim...
Olhando pro passado, eu não consigo ver clareza, lucidez, solução, sentido, em relação à isso... Qualquer um que cruzou meu caminho, e que de certa forma me desestruturou emocionalmente, não valia a bactéria das unhas do meu pé... Nenhum se importou comigo, nenhum gostou de mim, nenhum me quis... E por eles, chorei tanto,  passei noites sem dormir, escrevia cartas para entregar um dia, sei lá quando... Aguardava ansiosa o dia em que " ele " me procuraria... Isso jamais aconteceu! Daí, impotente, você percebe que não conseguiu conquistar ninguém! Que meus atributos não foram suficientes... Que eu sou débil mental, e homens gostam de mulheres saudáveis! Me apaixonei por homens covardes, pois que, se por um lado não me queriam, também não lutaram pelo que queriam... Incapazes de defenderem o que querem, de lutar pelo que querem, de fazer cada minuto correr com dignidade em sua existência...
Me lembro do Natal de 1999, com meus dezessete anos... Eu não sabia, mas estava apaixonada pelo japonês... E, mesmo depois dele ter levado um fora, uma semana antes, em sua formatura, foi me ver, e me dar Feliz Natal, com o melhor abraço que ganhei em toda a minha vida, e que me dói lembrar! O príncipe que a Michele de 17 anos ignorou, e que a Michele de 32 anos sonha encontrar! Rs, mas, ironicamente, ele também mudou... Da última vez que nos vimos, noite de Natal de 2010, eu com 28, ele com 29 anos, e um selinho... Desde então, nunca mais! Sei que é casado, e não sei se mora em São Mateus... Eu gostava de ouvir a voz dele, e da presença dele... E o achava bonito, todo rockeiro, parecia um sonho... Mas, temo que ainda assim, nunca amei... E nesta encarnação, foi o mais perto que cheguei, de um homem no qual estava apaixonada...
Trabalhei com dois dos trastes em que fui apaixonada, um em 2004, e outro em 2013, e como é difícil, levar um fora, e ter que olhar a cara do infeliz, todo santo dia! Horrível, e que não desejo à ninguém...
Já me apaixonei por homem casado, por homem namorando... Rs, é, se eu for parar pra pensar, não sei qual das circunstâncias dói mais...
Sem dúvida, dói não ser correspondida... E o que realmente dói, não é não poder forçá-lo à te querer, mas não poder tirar isso de dentro da gente, imediatamente...
Dói, ouvir do homem que você quer, que você precisa de tratamento, pois é doente... Acho que, algumas coisas não precisam ser ditas, quando não correspondemos ao sentimento de alguém... Se não sentimos o mesmo, podemos ignorar, deixar falando, sabendo que aquilo que aquela pessoa acha que sente por nós vai acabar, sem que com isso precisemos acabar com elas... Pode haver respeito, se não desejo!
Já ouvi de tudo que vocês podem imaginar... Rs, até vagabunda! Talvez eu fosse mesmo, por ouvir isso, e ainda assim ficar feito uma cadelinha pedindo carinho pro dono...
Já ouvi e concordo, de que a mulher perde o QI quando se apaixona, e por experiência, isso é bem verdade!
Mas, também ouvi que o verdadeiro Amor é correspondido... SEMPRE!!! Então, eu nunca amei... Neste ponto, eu me sinto aliviada... Pra ser bem honesta, eu olho a vida das pessoas e acho que todo mundo nunca amou... O Amor implica uma série de coisas simples, e nós complicamos demais, com milhões de imposições... Se ama tem que ser assim, se ama tem que fazer assado...
A gente ama um animal de estimação e dá a vida por ele, só dele nos dar carinho e querer brincar o tempo todo... Só isso!
Talvez, o verdadeiro Amor ainda não seja uma capacidade humana... Fazemos mau ao nosso planeta, fazemos mau aos nossos amigos, machucamos nossos familiares, machucamos o parceiro... Talvez precisemos de um manual de instruções!
Não posso pedir para que as pessoas acreditem no Amor, eu, por mais que sonhe com isso, não me acho merecedora, e não acredito... Tá, às vezes acredito, na maioria das vezes não! Por outro lado, quem sou eu pra fazer alguém desistir deste sonho? Experimente e vê no que dá! Chuta o balde, dá o salto, sinta a queda, mas viva!
" O céu pode se abrir " - Encontro Marcado.

Novembro, dia 02.

Nenhum comentário:

Postar um comentário