quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A VIDA É INVEJOSA...


Eu nunca pensei em constituir família, em construir uma família, partindo de mim...
Eu imaginei que viveria pela eternidade com a minha, à qual eu nasci, e passaria todos os meus Natais...
As mulheres, em sua maioria, crescem com a idéia de ter filhos, de cozinhar pro marido...
Como nunca me agradou ver minha mãe passar por isso, talvez esse nunca tenha sido um sonho pessoal, já que eu não achava que ela vivia um sonho, e não viveu mesmo!
É claro que eu imaginava que veria os dois envelhecerem juntos, e eu na casa deles...
Não me importava de dividir meu quarto com as irmãs...
Nunca fiz questão de um espaço só pra mim...
Talvez um dia eu tenha uma família, já que a minha se desintegrou, senão pela vontade de Deus, pela nossa própria vontade...
Poderia continuar vivendo Natal pós Natal com todos eles, mas nem todo mundo quer assim... E quando falo em Natal, me refiro à todos os familiares, juntos, comendo, falando abobrinhas...
A minha família sempre encobriu " podres ", sempre os deixou debaixo do tapete, e eu cresci vendo isso...
Acontece que, hoje faço eu a parte da geração de adultos, e o que para os mais velhos pode ser colocado debaixo do tapete, pra mim tem mais é que jogar no ventilador!
As pessoas, de modo geral, não gostam da Verdade, sendo referente à nada...
Não sou a dona da Verdade, mas garanto à qualquer um, que não sou funcionária da mentira! À mim ela não conseguiu conquistar...
Faço muita questão das coisas bem claras, das coisas bem certas, de ver tudo com bom senso e lucidez, mas pra sobreviver neste mundo, devo assistir de camarote todo tipo de sujeira, por cima e por baixo do tapete, e sorrir, com um copinho de cerveja na mão...
O Natal era um encanto, enquanto eu acreditava que o verdadeiro Papai-Noel era aquele que chegava de helicóptero no Shopping Center Norte...
O Natal era mais esperado, quando chegava novembro, e tinha que montar o pinheirinho, decorá-lo...
O Natal era sensacional quando fazíamos parte do amigo secreto, e era gozação pra todo lado!
E claro, o Natal hoje pra mim, no que eu vivo não é mais a mesma coisa...
Por mais que ainda seja minha data preferida e encantada, o Natal se transformou num sonho de infância, e eu volto a ser criança em dezembro!
Eu páro nas vitrines, vejo enfeites e luzes... É um sonho!
Papai-Noel não existe, aliás, soube recentemente que ganham em torno de R$ 4.000,00 pelos dias trabalhados nos shoppings...
Eu monto minha árvore, deito na cama e fico babando, com o pisca-pisca, na luz apagada do ambiente...
E ali eu estou vivendo o meu sonho...
Não consigo me imaginar numa casa minha com alguém... E imaginar uma decoração que não seja do meu gosto, e imaginar uma noite de Natal com marido e filhos...
A vida dá essas situações pra quem não se importa...
A vida faz questão de fazer tudo ao contrário só pra provar pra gente que quem manda é ela... Foda-se, nem tenho a pretensão de competir com alguém que ganha sempre! A vida tem tanto troféu em cima da derrota dos outros, e nem assim se cansa de ganhar... É tão arrogante, que jamais vai perder!
E eu, ainda sou uma menina, debaixo da árvore de Natal, apenas curtindo esta fantasia, sem querer que acabe...

Nenhum comentário:

Postar um comentário